sexta-feira, 3 de julho de 2009

A Florismilda é até bonita. Cabelinho loirinho, lisinho, dentes perfeitos, tatuagens. Menina inteligente e trabalhadora, apesar da preguiça de fazer uma faculdade. Seu corpo sempre foi cheinho, e ela odiava isso, era sua desgraça. Vivia de regime, inventava regimes, vez ou outra tomava remédios para emagrecer, vez ou outra tomava laxantes para não aproveitar as calorias do que havia comido.

A moleca tinha um namorado, um... namoradinho. O coiso era comprido, parecia uma lombriga, não estudou, vivia as custas da mãe com uns 25 no couro, só sabia conversar futilidades mas se achava a bengala de Chaplim. Adorava desfilar com ela, como se fosse um troféu.

Sempre que saíamos, a galera encarcava o dente, ela bebia bem mais, pois sabia beber. Fumava, também fumava, cigarro e maconha. Numa dessas com o namorado e sem grana resolveram fumar e transar dentro do carro, depois de uma noitada, na porta da casa dela.

Segundo ela, a transa ia bem e tals. (A Burra aqui acha que ele deve ser 'u ó' fudendo, mas...) Perto do fim ele pede o cu dela. "Pôrra, meu cu... meu cu é foda", pensou ela. Mas lá já iam 4 anos de namoro e já não era sem tempo, matutou. Então que ela deu e ele AMOU (deve ter dado pra ELE porque estava fumada, na moral!). Lá estava ele, regozijando, entalado na namorada, por baixo dela, sorrindo e com as duas mãos alisando toda aquela buzanfa que agora era dele.

Ele não queria mais sair dali, não queria terminar e continuou a beija-la com as mãos sempre circulantes em sua bunda. A um dado momento ele fala delirante e lombrado "Florismilda, quanta excitação, você está molhada demais, meu Deus, minhas mãos estão escorregando em sua bunda!" - Flor assustada dá um pulo de cima dele. PQP, lembrou que tinha tomado laxante...

Foi uma putaria para limpar o carro. Ela me disse que só ria, ria muito, sentada na calçada. Ele queria chorar e morrer olhando para as mãos sujas, até dentro das unhas! E ela só rolava de rir! O carro era da mãe dele, tinham que limpar, e assim o fizeram por um bom tempo da madrugada.

Nunca esqueço essa história. Outro dia, tomando umas, lembramos desse episódio e rimos até doer os rins. Ela terminou com ele enfim, mas toda vez que tem que tomar laxante, lembra da cara de choro dele...

Himmm hommm.

8 comentários:

Schebeu disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.. acho q vou rir até a próxima encarnação! muito bom isso aki! eu, burra com sou, n me perco mais deste espaço! bjs

Ric Dexter disse...

Poorra, que cagada! (literalmente)
kkkkkkkkkkkkkkkkkkk!

Beijo na burra.

Dani disse...

Hahahahahaha
hahahahahaha
Tudo bom?
Falo com quem?
Hahahaha
Bem..vim agradecer a faxinada lá no meu blog.
Quem foi a artista que te indicou?
Hahahaha
Putz! Tomara que vc não esteja à chamando de "artista" pela indicação!
(ops!)
hahahahaha
até..mais!

Faxina

Kenia Mello disse...

que merda. hahaha
obrigada pela visita. :)

Dani (ela) disse...

mipipocandu de rir...

colega, tem que ser muito artista para passar uma situação dessa e continuar rindo. Florismilda é das minhas.

rir das próprias desgraças é ser feliz mano!!

Dani disse...

Licençaaaa...
Vou linkar vc
ok?
beijo

Faxina

Adiel Seffrin disse...

Hahaha..
PQP.. Que merda... (literalmente 2)
Mas sempre tem o lado bom.. eles vão ter histórias para contar para os netos :)

Não que seja a melhor história para se contar..mas pelo menos garate umas boas risadas!

.o/

Jéssica, a antropofágica disse...

Cara, eu tô tentanto parar de chamar palavrão, mas...PUTAQUEPARIUUUUU!
Eiiii, mó hilário!
Quem mandou querer empalar a menina???ahsuhaushas
Beijos